Ricardo Araujo Pereira -- Os Incorrigíveis

Ricardo Araújo Pereira é neste momento um dos melhores, ou mesmo o melhor humorista português! Argumentista das Produções Fictícias, foi co-autor de Herman 98 e Herman 99 de Herman José (RTP), O Programa da M... [+]

Ricardo Araújo Pereira é neste momento um dos melhores, ou mesmo o melhor humorista português! Argumentista das Produções Fictícias, foi co-autor de Herman 98 e Herman 99 de Herman José (RTP), O Programa da Maria (SIC, 2001), Hermandifusão Portuguesa (RDP), Felizes para Sempre (Expresso), As Crónicas de José Estebes no Diário de Notícias, entre outros. Por volta de 2003, depois das primeiras aparições na televisão, interpretanto com Zé Diogo Quintela várias rubricas no programa O Perfeito Anormal, na SIC Radical, dá arranque ao projecto Gato Fedorento cujo colectivo viria a tornar-se uma referência do humor português, com o programa Gato Fedorento (Série Fonseca, Série Meireles e Série Barbosa) ou, já na RTP1, a Série Lopes da Silva e o recente Diz Que é Uma Espécie de Magazine. Na internet os humoristas mantêm o blogue homónimo, onde Ricardo Araújo Pereira assina as suas entradas com as iniciais RAP. As personagens de Ricardo Araújo Pereira, que encontram eco na actualidade política, desportiva ou social, destacam-se pelos tiques que «saltam» para a rua (como acontecia com algumas criações de Herman José) e são absorvidos em regime multi-geracional, alimentando campanhas publicitárias de sucesso. É co-autor do livro O Futebol é Isto Mesmo (ou então é outra coisa completamente diferente) e do disco O disco do Benfiquista, naturalmente. Colunista da revista Visão, foi publicada uma compilação das suas melhores crónicas no livro Boca do Inferno. Adaptou para teatro (com Pedro Mexia) Como Fazer Coisas com Palavras, do filósofo inglês John Austin, peça que também interpretou (Teatro São Luiz, 2008). Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.