Herman José - O Tal Canal 1ºEpisodio

O Tal Canal foi um programa de televisão de cariz humorístico, emitido pelo canal público de Portugal, RTP. Começou a ser emitido em 8 de Outubro de 1983 e terminou a 7 de Janeiro de 1984. Era de autoria de Herman José tendo também a participação de Vítor de S... [+]
O Tal Canal foi um programa de televisão de cariz humorístico, emitido pelo canal público de Portugal, RTP. Começou a ser emitido em 8 de Outubro de 1983 e terminou a 7 de Janeiro de 1984. Era de autoria de Herman José tendo também a participação de Vítor de Sousa, Helena Isabel, Lídia Franco, Manuel Cavaco, Margarida Carpinteiro e Natália de Sousa. O Tal Canal consistia num canal privado fictício, dirigido por Oliveira Casca, um empresário analfabeto e egocêntrico. Algumas personagens de «O Tal Canal» Oliveira Casca, líder do canal televisivo. Tony Silva, "o grande criador de toda a música rô", um dos grandes "bonecos" de Herman José que nasceu no Passeio dos Alegres de Julio Isidro, trajava sempre com vestimentas exuberantes que resplandeciam a cada foco de luz. Carlos Filinto Botelho, pivô da Informação 3 e óbvia paródia ao locutor Carlos Pinto Coelho. Manuel Freio, um outro pivô da Informação 3, inexpressivo, uma óbvia paródia ao locutor Manuel Freire. Flávio Portugal, comentador da Informação 3. Filipa Vasconcelos, "pseudo-cozinheira" e apresentadora do programa de culinária Cozinho para o povo, sempre acompanhada da sua empregada beirã, Emília; a Filipa adorava tudo com imeeeeeeeensa paprika. Uma paródia aos programas de Filipa Vacondeus. Nelito, uma criança mal-educada e irrequieta, que passa a vida a infernizar a vida da sua professora, Dra. Palmira Peres, no Momento infantil. José Esteves (leia-se: Estebes), comentador desportivo do programa "O esférico rolando sobre a erva". Decadente, alcoólico e ordinário, tem constantes avisos da produção para ter tento na língua. As personagens de "O Diário de Marilu" Na novela "O Diário de Marilu" de Dorothy Perkins, adaptada ao "Tal Canal" por Oliveira Casca, são apresentadas várias personagens: Marilu (Herman José), a protagonista e criada de uma velha casa senhorial da nobreza falida. Totalmente desastrada e incapaz para os serviços domésticos, vem a descobrir-se, no final, ser um travesti de verdadeiro nome Augusto, justificando assim os frequentes avanços a algumas mulheres da casa. Condessa da Penha de França (Lídia Franco), que reage sempre ao provocador "Sim, Senhora Dona Condensa!" de Marilu com o famoso chavão "Não me chame Condensa que me põe tensa!". Cilinha (Helena Isabel), a filha da condessa, por quem Marilu/Augusto se apaixona. Inácio (Manuel Cavaco), o jardineiro, amante da condessa e da filha. Prof. John Smith (Vítor de Sousa) - leia-se Jon Semite - professor, imagine-se, de francês (!) da condessa, que nada a consegue fazer aprender. Graciete (Natália de Sousa), capelista que trabalha para Fabricius e que vai frequentemente a casa da condessa para fazer espionagem para o patrão. Fabricius (Herman José), encarnação contemporânea de Adolf Hitler, que faz tudo para obter a "jóia de família" da condessa. Encerra habitualmente cada episódio da novela com uma estridente e ridícula gargalhada. Tem como sócia (Margarida Carpinteiro) uma antiga funcionária dos "camisas castanhas" que o tenta ajudar no seu périplo.